terça-feira, 21 de novembro de 2017

FAMOSOS QUE PROVAVELMENTE NÃO EXISTIRAM DE VERDADE - JESUS CRISTO



      Os pesquisadores que se dedicaram ao estudo das origens do cristianismo sabem que, desde o Século II de nossa era, tem sido posta em dúvida a existência de Cristo. Muitos até mesmo entre os cristãos procuram provas históricas e materiais para fundamentar sua crença. Infelizmente, para eles e sua fé, tal fundamento jamais foi conseguido, porquanto, a história cientificamente elaborada denota que a existência de Jesus é real apenas nos escritos e testemunhas daqueles que tiveram interesse religioso e material em prová-la.


      Desse modo, a existência, a vida e a obra de Jesus carecem de provas indiscutíveis. Nem mesmo os Evangelhos constituem documento irretorquível. As bibliotecas e museus guardam escritos e documentos de autores que teriam sido contemporâneos de Jesus, os quais não fazem qualquer referência ao mesmo. Por outro lado, a ciência histórica tem-se recusado a dar crédito aos documentos oferecidos pela Igreja, com intenção de provar-lhe a existência física. Ocorre que tais documentos, originariamente, não mencionavam sequer o nome de Jesus; todavia, foram falsificados, rasurados e adulterados visando suprir a ausência de documentação verdadeira.


      Uma pesquisa recente na Inglaterra, por exemplo, descobriu que cerca de 40% da população daquele país não acreditava que Jesus fosse uma pessoa real. Se fosse, Jesus provavelmente teria sido um homem que viveu durante a ocupação romana do atual Israel. Um pregador judeu com muitos seguidores, que as autoridades romanas, eventualmente, executaram. Se ele realizou todos os feitos divinos descritos na Bíblia está aberto à interpretação religiosa individual. No entanto, se ele era divino, um homem comum, ou uma figura mitológica, ele certamente está entre os indivíduos mais influentes da história.


FONTE: http://arteref.com/

domingo, 19 de novembro de 2017

MEU DISCURSO COMO PATRONO NA 28ª FEIRA DO LIVRO DE DOIS IRMÃOS








   Senhoras e senhores...

   E chegou o grande momento: a hora em que os livros invadirão a praça.

  Durante os próximos dias, saberes, sonhos, imaginação e cultura estarão presentes na atmosfera de Dois Irmãos, e a literatura, mais do que em qualquer outra época do ano, permeará nossas existências. De hoje até domingo, quem cruzar pela praça não passará imune ao doce mistério que cada livro carrega dentro de si. Sim, pois cada livro tem um segredo guardado e que aguarda latente por olhos, mentes e corações dispostos a descobri-lo.

   Quando há 7 meses atrás foi-me feito o convite para ser o patrono da 28ª Feira do livro de Dois Irmãos, parecia que uma eternidade nos separava desta data. De lá para cá, muito trabalho, muita dedicação e empenho de todos os envolvidos foram necessários para que finalmente chegássemos aqui. Dentro em breve, a feira vai começar, e além de toda a responsabilidade que possui de valorização e de incentivo à leitura, também carrega a missão de disseminar um tema atual e necessário: a diversidade.

   Num mundo marcado por várias cores e tons somos todos intimados a partilhar de uma nova era, e observem que não estou usando uma linguagem figurada. Não me refiro à chegada de discos voadores, nem ao apocalipse bíblico e tão pouco a uma conjunção astrológica que nos guiará a um novo tempo. Falo de uma nova era que será conquistada por nós, por nossos filhos e netos, dia após dia, anos após ano e que estará intimamente ligada com a educação, com o estímulo da cultura e com o exercício da tolerância ao que nos é diferente.

   Já se foi o tempo em que dizíamos que somos todos iguais. Não, não somos todos iguais. Embora sejamos semelhantes em traços, formas e constituições, uma vez que pertencemos a uma mesma espécie, cada um de nós é um universo à parte. Diferimos nas cores das nossas peles, nas maneiras de nos comunicarmos e de nos locomovermos, nas nossas formas de amar, nas nossas crenças ideológicas e religiosas. Diferimos nos nossos gostos, nos nossos sonhos, nos nossos olhares e prazeres. Somos todos diferentes e não há nada de mau ou de errado nisso.

   Não tenho dúvidas de que a praça repleta de livros, a partir de hoje, abraçará a todos sem distinções de cor, gênero, situação social, condição física, sensorial ou intelectual, orientação sexual, credo, ideologia política ou qualquer outra que eu não tenha citado.

   O tema da 28ª Feira do Livro de Dois Irmãos, “Diversidade: diferentes olhares para o mundo” além de extremamente propício, é de grande relevância, uma vez que casa a liberdade e o encanto da literatura com a pluralidade que estes novos tempos reivindicam. A leitura – sem sombra de dúvida – constitui-se numa fundamental ferramenta na construção de um mundo onde o respeito e a tolerância ao próximo estejam acima de quaisquer diferenças.

   Desde que recebi o convite para ser o patrono da feira experimentei um misto de sensações que variou do medo de tão grande responsabilidade, até a honra de poder hoje estar aqui, celebrando esta festa literária que se inicia. Entendo que ser escolhido patrono de uma feira do livro é uma honra que nem todo escritor terá a oportunidade de desfrutar, e, mais do que isso, é a certificação e reconhecimento de um trabalho. Tenho a convicção de que este chamado me foi feito não apenas por eu ser um escritor que fala sobre inclusão, mas também, por conta da minha trajetória profissional que sempre esteve intimamente ligada com a diversidade. Sendo assim, só tenho a agradecer de coração a este convite e dizer que farei o melhor possível para que tenhamos uma feira não apenas literária, mas também voltada verdadeiramente à pluralidade.

   Literatura e diversidade. Não tenho dúvidas de que será um casamento perfeito.

   Sejam todos bem-vindos à 28ª Feira do Livro de Dois Irmãos!

Cristiano Refosco


sábado, 18 de novembro de 2017

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS POR SALVADOR DALÍ



      O pintor catalão Salvador Dalí, considerado o maior expoente do movimento surrealista, não apenas expressava sua criatividade singular em quadros. Graças à Internet, vários trabalhos inexplorados dele foram trazidos à tona, como o curta Destino criado em parceria com Walt Disney, ou até o ensaio psicodélico para a Playboy.

      Agora é a vez das ilustrações surrealistas que ele criou para uma edição limitada do livro homônimo de Lewis Carroll “Alice no País das Maravilhas”, em 1969.

      Dalí criou 12 heliogravuras para cada capítulo do livro, o qual teve apenas 2.700 edições encadernadas, e foram especialmente assinadas por ele.

      Embora sejam raras essas cópias, a Princeton University Press torna acessível uma reedição por US$ 21,39.

FONTE: http://geekness.com.br

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

OS MELHORES DIRETORES DO CINEMA - STANLEY KUBRICK - PARTE 4




      Cinco anos de produção foram necessários para o desenvolvimento de  2001: Uma Odisseia no Espaço), de 1968, para muitos a melhor ficção científica já filmada. Foi escrito ao mesmo tempo em que o livro homônimo de Arthur C.Clarke estava em produção. Clarke, inclusive, deu assistência na criação do roteiro. 2001 teve uma recepção fria da crítica, mas obteve sucesso junto ao público. Até hoje, possui em sua força maior as músicas de Richard Strauss, Assim falou Zaratustra e Johann Strauss II, Danúbio Azul. Os efeitos especiais, inovadores para a época, garantiram ao filme um Oscar da categoria.

      Novamente indicado a melhor diretor, Kubrick vê o seu prêmio escapar. Logo após, ele segue para mais uma adaptação. Dessa vez o livro é Laranja Mecânica, de 1962, de Anthony Burgess, focado na violência humana e, principalmente, na da juventude. Causou grande polêmica na época de seu lançamento e foi acusado de incitar a barbárie. Na história, quatro jovens de classe trabalhadoras passam as noites cometendo as maiores atrocidades: brigar, roubar, estuprar.

FONTE: WIKIPEDIA


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

JOVEM CONSEGUE FOTOGRAFAR ESPÍRITO DE CRIANÇA QUE O ASSOMBRA HÁ MESES



   Tudo começou em agosto deste ano, quando Adam Ellis, de Nova York, nos EUA, resolveu usar o Twitter para compartilhar com todos sua experiência sobrenatural. De acordo com ele, o espírito de uma criança tem invadido seu apartamento todas as noites.
    Ellis chegou a fazer alguns registros de vídeo, no qual mostrava supostos eventos sobrenaturais acontecendo, como objetos se mexendo sozinhos. Ele ainda acredita que o espírito é um ser maligno, capaz de atormentar seus sonhos e cujo objetivo é matá-lo em breve.
    Ellis conta que o fantasma da criança começou a aparecer primeiro em seus sonhos, mas agora faz parte do mundo real. Ele disse que quando o viu pela primeira vez, não conseguiu se mexer nem fazer nada. A criatura foi descrita como uma criança com uma grande cabeça deformada, pendendo para um lado.
    Para comprovar seus relatos, ele passou a dividir fotos e vídeos de alguns dos acontecimentos estranhos que ocorrem em seu apartamento, como plantas que saem das prateleiras e cadeiras que se mexem.
     Depois de experimentar algumas noites do mais puro terror, Ellis disse ter sido abordado por uma garotinha em uma biblioteca. Ela chegou até ele e disse que sabia que ele estava vendo o querido David.
     Em outra noite digna de um filme de terror, Ellis acordou e viu David sentado em uma cadeira, olhando para ele. Desesperado e sem conseguir fazer muita coisa, o jovem apenas pegou seu celular e fez algumas imagens que, finalmente, mostram o famoso fantasma mirim que vem assombrando seu apartamento.
     Quando viu as fotos em seu telefone no dia seguinte, editou a luminosidade das imagens e conseguiu ver o formato de David.



FONTE: MEGACURIOSO


terça-feira, 14 de novembro de 2017

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO






     A Educação Especial é uma modalidade de ensino que perpassa todos os níveis e etapas. O Atendimento Educacional Especializado disponibiliza os recursos e orienta no processo de ensino nas turmas comuns do ensino regular.

      A política estadual busca a igualdade de oportunidades na aprendizagem, através do acesso e permanência dos alunos com deficiências no ensino regular.

O Atendimento Educacional Especializado

      Na rede pública estadual, o Atendimento Educacional Especializado é realizado por professores especialistas, os quais identificam, elaboram e organizam recursos pedagógicos e de acessibilidade para a construção do conhecimento dos estudantes, considerando as suas necessidades específicas.

      O atendimento é realizado na Sala de Recursos da própria escola ou em outra instituição de ensino regular, no turno inverso da escolarização, não sendo substitutivo às classes comuns.

As atribuições do professor

As atribuições do professor em Salas de Recursos são:
  • Identificar, elaborar, produzir e organizar serviços, recursos pedagógicos, de acessibilidade e estratégias considerando as necessidades específicas dos alunos da Educação Especial;
  • Elaborar e executar plano de Atendimento Educacional Especializado, avaliando a funcionalidade e a aplicabilidade dos recursos pedagógicos e de acessibilidade;
  • Organizar o tipo e o número de atendimentos aos alunos na Sala de Recursos Multifuncionais;
  • Acompanhar a funcionalidade e a aplicabilidade dos recursos pedagógicos e de acessibilidade na sala de aula comum do ensino regular, bem como em outros ambientes da escola;
  • Estabelecer parcerias com as áreas intersetoriais na elaboração de estratégias e na disponibilização de recursos de acessibilidade;
  • Orientar professores e famílias sobre os recursos pedagógicos e de acessibilidade utilizados pelo aluno;
  • Ensinar e usar a tecnologia assistiva de forma a ampliar habilidades funcionais dos alunos, promovendo autonomia e participação;
  • Estabelecer articulação com os professores da sala de aula comum, visando à disponibilização dos serviços, dos recursos pedagógicos e de acessibilidade e das estratégias que promovem a participação dos alunos nas atividades escolares.                        
  • FONTE: http://www.educacao.rs.gov.br/educacao-escpecial                                                                                                                                                                            

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O DIA EM QUE AS CATARATAS DO NIÁGARA SECARAM



      As Cataratas do Niágara ficam bem na fronteira entre os EUA e o Canadá, sendo que, neste último, estão as mais belas formações. O lado norte-americano é um pouco menor e menos imponente, mas, ainda assim, o conjunto de cataratas é um dos pontos turísticos mais conhecidos de ambos os países.
      No lado dos EUA, uma história curiosa aconteceu em junho de 1969: uma barreira desviou todo o fluxo de água para o lado canadense, expondo a parte rochosa das cataratas. A iniciativa aconteceu para tentar limpar as quedas da parte dos EUA, já que elas estavam ficando menos impressionantes devido ao acúmulo de sedimentos por conta da


      Durante três dias, mais de 1,2 mil cargas de caminhão com areia e terra criaram uma barreira que diminuiu drasticamente o volume de água para que as equipes pudessem trabalhar na restauração desse cartão-postal “natural”. A ideia era retirar um bom tanto de rochas caídas na base das cataratas e deixá-las mais bonitas – algo que, na prática, não teve um impacto visível muito grande.
      Curiosamente, a operação também acabou revelando o corpo de uma mulher, que havia se suicidado se jogando nas águas do rio Niágara e nunca havia sido descoberta. Ela portava um anel de ouro com a inscrição “Nunca me esqueçam”. A barreira que represou a água do lado norte-americano foi implodida em novembro de 1969, restaurando a paisagem para todos os turistas.



FONTE: MEGACURIOSO